Como praticar rapel? Aprenda aqui!

Assim como todos os esportes radicais, a prática do rapel exige muita técnica, treinamento, disciplina, uso de equipamentos adequados e muita orientação de profissionais especializados nas primeiras experiências.

Com a devida dedicação, você poderá melhorar sua performance, aumentando os desafios de montanhas a cachoeiras, passando por pontes e encostas, sentindo muita adrenalina em cada lugar em que tiver o desafio de descer.

No entanto, para quem está começando na modalidade, é preciso seguir muitas dicas sobre como praticar rapel.

Pensando nisso, montamos este guia com as principais orientações para você não ter problemas nas descidas, sempre priorizando a segurança e o bem-estar.

Quer entrar de cabeça no mundo do rapel? Então venha com a gente e não pare de ler este post! Mas, antes, que tal conhecer um pouco da história desse esporte?

Veja como surgiu o rapel

O rapel (do francês rappel), inicialmente, no Brasil, serviu para auxiliar os pesquisadores em busca de dados sobre as cavernas, no início do século XX.

A criação da modalidade ocorreu no fim do século XIX, mais precisamente em 1879, na França, por meio da descida do paredão de rocha conhecido como Petit Dru, feita pelos amigos Jean Charlet-Stranton, Prosper Payo e Frederic Foliguett.

Após essa breve viagem pelo tempo, vamos entrar de vez no que realmente interessa: o beabá do rapel!

Dicas básicas para começar na modalidade

Não pense que, de cara, você já vai encarar aquele penhasco que sempre sonhou em descer. É preciso treinar antes de se deparar com desafios mais audaciosos.

Para isso, existem várias paredes de escalada indoor que podem auxiliá-lo a se familiarizar com a maneira correta de utilizar a corda, assim como aumentar a flexibilidade da perna e a força nas pegadas.

Após conquistar confiança, chega o momento de entrar na trip da galera rumo ao outside, o paraíso dos apaixonados pelo rapel.

Equipamentos necessários para a sua segurança

Pouca gente consegue comprar todos os equipamentos necessários para a prática do rapel. Por isso, é fundamental você procurar agências especializadas ou profissionais do ramo que possam auxiliar nas primeiras descidas.

Seja em cachoeira, seja em penhascos, pontes ou cavernas, pense sempre na sua segurança, ou seja, veja agora o que deve constar no seu check-list:

Mosquetão

Responsável pela ligação entre a cadeirinha e o freio, a peça é bem leve e não pesa mais do que 100 g. Apesar disso, suporta toneladas e se parece muito com a fivela de um cinto.

Com uma trava de segurança que pode ser manuseada por uma mão, o mosquetão garante que o praticante se desprenda da corda em situações de emergência, por exemplo, até que o resgate aconteça.

Capacete

Item imprescindível em várias modalidades esportivas, o capacete é obrigatório na prática do rapel, mesmo que você não vá descer uma cachoeira ou um penhasco.

No momento de escolher o equipamento, experimente o mais confortável e que fique bem firme em sua cabeça. É importante priorizar a segurança, e o capacete evita muitos danos.

Freio

É formado por elos para travar a corda quando o praticante a puxa para si. Em formato de um oito, o freio auxilia nos movimentos, e pode ser muito útil em locais de diferentes estágios de dificuldade nas descidas.

Cadeirinha

Elaborada em náilon e poliéster, a cadeirinha fica entre as pernas e o quadril do rapelista. É utilizada para prender o corpo de quem pratica ao restante dos equipamentos.

Existem cadeirinhas que chegam a suportar até 500 kg, revestidas com tecido de alta resistência, imprescindível por causa da exposição ao sol, chuva e muita terra nas descidas.

Corda  

São muito resistentes e aprovadas pela Federação Internacional de Montanhismo e Escalada. As utilizadas no rapel suportam até três mil quilos, e são feitas para aguentar qualquer tipo de tranco.

Afinal, a segurança depende muito desse item. Freadas mais bruscas necessitam de um equipamento de qualidade. Vale a pena, ainda, utilizar uma luva para proteger as mãos.

Sempre é bom comprar cordas que contam com certificação, já que as nacionais não possuem a garantia de uma inspeção mais apurada, como acontece com as marcas que passam pelo crivo da federação da modalidade.

Cuidados na prática do rapel

Praticar rapel exige cuidados que vão bem além do uso dos equipamentos descritos aqui. É preciso manter sempre a prudência, em razão dos riscos que existem nas descidas.

A primeira dica é procurar um profissional especializado e que conheça bem o local escolhido para a prática.

Com isso, o risco de se perder na mata é reduzido a quase zero, sem falar que você contará com o auxílio de uma pessoa experiente na modalidade, podendo aprender de maneira mais didática e correta.

É importante, também, conferir todos os equipamentos no momento da saída para a trilha. A presença de várias pessoas ajuda muito.

Procure usar roupas leves e confortáveis, assim como um tênis adequado para trilhas. Observe as condições meteorológicas antes de sair e aborte a missão caso o tempo não esteja bom.

Escolha trilhas que tenham graus de dificuldade de acordo com o seu estágio físico. Isso evita desgastes desnecessários e até mesmo possíveis lesões. Ou seja, não desafie o seu corpo. É preciso se preparar antes de escolher um trecho mais longo para praticar o rapel.

Faça um planejamento prévio da descida escolhida. Veja a altimetria do local, o grau de dificuldade, as dicas de quem já desceu, enfim: busque o máximo de informações para você não ter percalços no caminho.

Para evitar problemas maiores na subida do pico, leve apenas o essencial, como água, protetor solar, repelente, alimentos leves e com boa fonte de energia, celular com GPS, além dos equipamentos necessários.

Respeite a natureza e não encare atalhos nas trilhas. Muita gente se perde, mesmo já conhecendo o local. Por isso, estabeleça horários para não deixar a noite cair, pois caminhar no escuro fica bem mais difícil e perigoso.

Seguindo todas as orientações sobre como praticar rapel, certamente suas trips ficarão cada vez mais estimulantes, com muitos ganhos para a sua saúde física e mental.

E aí, gostou do nosso post? Que tal compartilhá-lo em suas redes sociais e ajudar outras pessoas a praticar o rapel com muita segurança? Dissemine a informação!