O cigarro é desde muito tempo um grande inimigo da humanidade, causando doenças, dependência, gasto desnecessário de dinheiro, entre outros muitos malefícios.

Na realidade, o uso de cigarro ou qualquer outro meio de tabagismo é literalmente inútil ao ser humano, gera não apenas malefícios ao corpo do usuário mas também ao meio ambiente, desde o plantio até a queima do produto final, que produz fumaça tóxica e ainda gera resíduos, já que muitos usuários jogam a bituca no chão.

Só para constar, este texto não está sendo escrito por um cara chato, está sendo escrito por um fumante compulsivo que constantemente tenta parar, mas não consegue. Exatamente por isso que decidi falar a respeito.

Dados sobre o consumo de cigarro

Homem fumando um cigarro
Fonte da imagem: divulgação/Internet

Segundo o Ministério da Saúde e o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o cigarro apenas no Brasil gerou um gasto de 56,9 bilhões de reais aos cofres públicos.

De acordo com o IBGE o Brasil tem cerca de 207 milhões de habitantes, ou seja, de maneira simplificada, fumante ou não cada brasileiro teve mais ou menos R$ 210,00 do seus impostos gastos com o cigarro no ano de 2015.

Imaginem quantas pistas de Skate poderiam ser construídas com esse dinheiro? Quantas escolas ou hospitais? É muito dinheiro!

Quais os males do consumo de cigarro?

Os malefícios do cigarro
Fonte da imagem: divulgação/Internet

Esta parte do texto não é novidade para ninguém, mas não custa nada lembrar a todos o que o cigarro pode fazer com seu corpo:

  • Vaso constrição e redução do fluxo de sangue nos tecidos.
  • Lesão da camada celular interna dos vasos (endotélio).
  • Redução do colesterol bom (HDL).
  • Redução da liberação de oxigênio para os tecidos.
  • Aumento da acidez do estômago.
  • Irritação e inflamação de olhos, garganta e vias aéreas.
  • Aumento da produção de radicais livres que lesam as células.
  • Aceleração da arteriosclerose.
  • Aumenta a pressão arterial.
  • Aumenta a frequência cardíaca.
  • Aumenta o risco de doenças das coronárias, como angina do peito e infarto do miocárdio.
  • Aumenta em três vezes o risco de morte por infarto em homens com menos de 55 anos.
  • Aumenta em dez vezes o risco de tromboembolia venosa e infarto em mulheres que tomam anticoncepcionais.
  • Aumenta o risco de má circulação nas pernas.
  • Aumenta o risco de impotência sexual.
  • Causa câncer de boca, faringe, laringe e traqueia.
  • Causa câncer de pulmões – risco dez a vinte vezes maior do que o do não fumante.
  • Causa câncer de esôfago, estômago, rins, bexiga e colo de útero, entre outros.
  • As substâncias presentes na fumaça do cigarro agridem os cílios das vias aéreas, dificultando a eliminação de muco e catarro, essencial para o bom funcionamento dessas vias. Além disso, com a idade, o fumo contribui para a queda da capacidade respiratória e para o aparecimento de outros problemas.
  • Tosse, chiado e falta de ar.
  • Bronquite crônica e enfisema (DPOC) – o fumo é responsável por 90% dos casos e aumenta o risco de incidência em dez vezes.
  • Distúrbios da voz e rouquidão.
  • Infecções das vias respiratórias e crise de asma.
  • Envelhecimento da pele e interferência na cicatrização.
  • Fumar triplica o risco de derrame cerebral (acidente vascular cerebral), sendo responsável por 25% das ocorrências da doença.

Enfim, se eu enumerar todos os malefícios, vou passar dias escrevendo esta matéria. Isso porque nem falei ainda dos problemas ambientais…

Impacto ambiental do cigarro na natureza

Bitucas de cigarro
Fonte da imagem: divulgação/Internet

Para começar, um estudo da Organização Mundial da Saúde diz que dos 15 milhões de cigarros vendidos por dia no planeta, dois terços (10 milhões) são jogados no chão, poluindo o meio ambiente.

Exemplificando melhor ainda, por ano são entre 340 a 680 milhões de quilos de resíduos de cigarros jogados no meio ambiente, sem tratamento adequado. Nesta conta estão não apenas as bitucas, mas também as embalagens e plásticos contidos nos maços de cigarro.

Os resíduos de cigarros contém aproximadamente 7.000 substâncias químicas tóxicas, que poluem o solo, mares e rios.

O tabaco gera efeitos nocivos ao meio ambiente desde o cultivo da folha de tabaco, que requer o uso de agroquímicos, reguladores de crescimento e novas substâncias e contribui para o desflorestamento, alertou a OMS.

O plantio, a produção e distribuição também requerem o uso extensivo de água e energia. Outra forma de contaminação são as emissões de fumo, que representam toneladas de gases cancerígenos, tóxicos e de efeito estufa

Se você assim como este editor é um fumante, está financiando tudo isso…

Esportes ajudam a parar de fumar!

Parar de fumar
Fonte da imagem: divulgação/Internet

Exatamente amigos, a prática de esportes ajuda e muito vocês a pararem de fumar!

Um fato é que o cigarro, por mais nocivo que seja, gera bem-estar ao viciado durante o seu consumo.

Em contrapartida, a pratica regular de esportes também gera grande bem-estar ao praticante. A diferença é que o primeira opção de prazer acelera sua morte, o segundo prolonga sua vida!

Por experiência própria, sempre que ando de Skate, me esqueço do cigarro. Pois a adrenalina, descontração e tudo mais satisfazem meu corpo de tal maneira que nesse momento meu corpo se esquece de me avisar que eu preciso fumar.

Usei o termo “precisar fumar” para explicar o que acontece com o viciado, seu corpo necessita da droga para se manter em ordem, portanto quando sente falta ele te avisa. São as chamadas crises de abstinência.

Quando eu era jovem e não fumante, passava o dia andando de Skate, loucamente, pela cidade toda. Esse era meu vício.

Hoje aos 32 anos de idade, 40min de rolê em pista coberta é o bastante para me deixar no chão, suando, sem ar!

Em minha última tentativa de parar de fumar, fiquei 3 meses limpo e meu desempenho era outro, mesmo na época com 30 anos, eu vivia mais bem disposto, engordei 5 quilos (não gostei dessa parte) e a respiração era uma beleza!

Infelizmente tive uma recaída e voltei a estaca zero…

Pare de fumar e pratique esportes!

Já falamos aqui dos benefícios para saúde quando se pratica esportes, não inúmeras mudanças no psicológico e na parte física, inclusive com o suor, você vai eliminar as toxinas do corpo mais rápido e por experiência própria, a primeira semana sem o cigarro é difícil, depois melhora.

Coloque metas simples, comece se desafiando a ficar a parte da manhã sem fumar, se conseguir, passe para a parte da tarde e por fim, a noite. No dia seguinte, repita, passo por passo até se tornar algo automático.

Se não conseguir, tente novamente no outro dia, até alcançar a primeira semana, depois disso seu corpo já estará totalmente sem nicotina, a partir daí é foco, coragem e determinação.

Ande de Skate, vá para a academia, vá correr, evite cafeína e se esforce! Eu vou tentar de novo e este post vai servir para que eu possa me lembrar que quem tem o controle sobre meu corpo é apenas eu, mais ninguém!

Nota: Vejam este link do Dr. Drauzio Varella, ex fumante e manjador do assunto.

Se gostou do conteúdo, deixe seu comentário, vamos debater o assunto!

Grande abraço!