Automedicação no esporte: quais são os riscos?

É clichê afirmar o quão positiva é a prática de esportes para a saúde, mas é importante lembrar que durante as atividades físicas o corpo pode ficar exposto a dores e lesões, especialmente quando se inicia uma nova rotina de exercícios. Contudo, a ansiedade por aliviar sintomas de desgastes não deve levar a automedicação, caso contrário a situação pode se agravar ainda mais.

Infelizmente a prática da automedicação tem índices muito altos. Dores de ouvido, de cabeça, desconfortos digestivos, gripes e ou pequenas lesões, como cortes superficiais na pele, muitas vezes são tratados em casa com medicamentos escolhidos por contra própria ou indicação de amigos.

Apesar de comum, isso é extremamente perigoso. Todo e qualquer medicamento só pode ser consumido com a orientação de um profissional de saúde capacitado.

Automedicação e interação medicamentosa

Os medicamentos são compostos de vários elementos que podem interagir entre si, gerando a chamada interação medicamentosa, que pode causar até a morte. Por isso é fundamental só comprar e consumir remédios com a prescrição médica, com a devida orientação de uso.

Mesmo a medicação natural por meio de ervas e raízes também exigem atenção, já que uma planta pode anular o efeito da outra, gerar reações alérgicas e piorar o quadro da pessoa que fez uso do tratamento.

Órgãos como rins, fígado e coração são os que podem ser diretamente impactados pelos uso de medicação em dosagem incorreta ou da interação de medicamentos.

Os perigos dos medicamentos mais usados sem prescrição

Confira os principais riscos oferecidos por alguns tipos de medicamento, conforme dados do Ministério da Saúde:

Analgésicos

O seu uso indiscriminado para qualquer tipo de dor pode prejudicar o estômago, e alguns tipos são muitos perigosos em casos de pacientes com dengue. A doença causa dores que podem ser confundidas com desgaste por exercício físico.

Antibióticos

Este medicamento é muito importante para tratar vários tipos de infecções, portanto o seu uso sem necessidade vai possibilitar a resistência a um tratamento, quando ele realmente for necessário e prescrito por um profissional da saúde.

Suplementos de vitaminas

A ideia de que a vitamina só faz bem pode gerar o consumo sem indicação, o que é um grave erro, pois o excesso de alguns tipos de vitaminas pode fazer muito mal à saúde. O ideal mesmo é investir numa dieta balanceada para suprir a necessidade de vitaminas.

Colírios

Os colírios costumam conter corticoides ou antibióticos, ou seja, seu uso pode esconder doenças ou agravá-las.

Pomadas

As pomadas utilizadas sem prescrição podem esconder sintomas de doenças graves, como o câncer de pele, por exemplo.

Xaropes

Os xaropes podem ocultar os sintomas que causam a tosse, em casos de pneumonia, por exemplo, seu uso pode dificultar o diagnóstico para descobrir se causa é viral ou bacteriana.

Várias pessoas caem na armadilha de consumir remédios sem orientação médica, isso é muito arriscado. A automedicação no esporte pode até amenizar dores, mas pode mascarar lesões graves e trazer riscos futuros, o ideal é sempre consultar um médico, antes de consumir qualquer medicamento.

Gostou do nosso artigo? Conseguiu compreender os riscos da automedicação? Partilhe sua experiência conosco! Deixe um comentário!